46. A vida, o trabalho e riqueza na visão de Saint-Exupéry em Terra dos Homens

Olá queridos(as) leitores(as)! Buenas! Hoje vamos trazer para ustedes algumas passagens do livro Terra dos Homens, escrito por Saint-Exupéry, um escritor francês que viveu entre 1900 e 1944, isso mesmo, ele morreu com apenas 44 anos, mas em sua estada terrena deixou registrados belos escritos que merecem ser compartilhados com todo o mundo. Essa obra tinha sido apenas mencionada na postagem anterior: Choque de realidade: Ninguém nasce marginal, todavia, agora vamos nos debruçar no livro e apresentar algumas passagens contidas nele que, certamente, provocam algumas boas reflexões sobre a vida, o trabalho e riqueza.

46. A vida, o trabalho e riqueza na visão de Saint-Exupéry em Terra dos Homens
Reflexões sobre a vida, o trabalho e riqueza na visão de Saint-Exupéry em Terra dos Homens

Vejamos a seguir algumas ideias transmitidas por Exupéry em referida obra:

"Assim vai a vida. A princípio, enriquecemos; plantamos durante anos, mas os anos chegam em que o tempo destrói esse trabalho, arranca essas árvores. Um a um, os companheiros se retiram para a sombra. E ao nosso luto mistura-se então a mágoa secreta de envelhecer."


Comentário: realmente muitas pessoas percebem a vida dessa maneira e relutam quando percebem que estão envelhecendo. Apesar de ser uma passagem pouco otimista, carrega uma enorme verdade. Para termos visão mais otimista da velhice, recentemente aprendi, que para superar essa "mágoa" secreta é necessário pensarmos: "Só sei que hoje eu estou bem". Você está bem hoje? Então é isso que importa, no fundo a sua idade não quer dizer muita coisa, o que importa mesmo é como a vida é levada!

Seguimos:

"A grandeza de uma profissão é talvez, antes de tudo, unir os homens; só há um luxo verdadeiro, o das relações humanas."


Comentário: Essa passagem nos revela a mais bela das verdades. Realmente, unir as pessoas além de proporcionar sentimentos gratificantes, também é um enorme desafio!

"Trabalhando só pelos bens materiais construímos nós mesmos nossa prisão. Encerramo-nos lá dentro, solitários, com nossa moeda de cinza que não pode ser trocada por coisa alguma que valha a pena viver."


Comentário: Ohhhh, leia repetidamente esse trecho. Mais uma vez e outra! Como gostaria que mais pessoas tivessem essa maneira de perceber que estão aprisionadas nos seus "bens imóveis" e trabalhos... Mas se é isso que lhes dá felicidade... no entanto, será que elas tiraram um tempo para pensar nisso? Pois talvez elas não tenham percebido que enquanto isso algo está passando e não volta mais. O tempo?! Não. Não é o tempo que passa, somos nós que passamos pelo tempo! A não ser que você seja o personagem Benjamin Button do filme, talvez seja bom tirar um tempo para pensar nisso... Respire bem fundo... e vamos para o próxima etapa...

"Se procuro entre minhas lembranças as que me deixaram um gosto durável, se faço o balanço das horas que valeram a pena, certamente só encontro aquelas que nenhuma fortuna do mundo me teria presenteado."


Comentário: Hummm... ou seja, no fundo a riqueza é apenas uma ferramenta, pois as coisas mais belas da vida, felizmente, não dependem de fortuna alguma! Ou será que dependem? A propósito, quais são mesmo as suas lembranças mais valiosas? Respire... feche os olhos...

Adiante...

"Ser homem é precisamente ser responsável. É experimentar vergonha em face de uma miséria que não parece depender de si. É ter orgulho de uma vitória dos companheiros. É sentir, colocando a sua pedra, que contribui para construir o mundo."  


Comentário: Parece que muitos humanos precisam ainda tornarem-se homens. O fato é que, nascer humano não transforma ninguém automaticamente em um homem. Vez que, o homem é uma construção do ambiente que o rodeia, o qual pode ser lapidado conforme os interesses e a influência de outros seres, como por exemplo, outros humanos, homens e extraterrestres!

E a vida segue:

"Em um mundo em que a vida se une tanto à vida, em que as flores amam as flores no leito dos ventos, em que o cisne conhece todos os cisnes, só os homens constroem a sua solidão."


Comentário: Verdadeiramente algumas pessoas constroem a própria solidão, mas quando ela é voluntária, podemos chamar de solitude, o que é além de boa, é necessária. Para compreender melhor o termo a Wikipédia apresenta uma clara e útil definição: "Solitude é o estado de privacidade de uma pessoa, não significando, propriamente, estado de solidão. Pode representar o isolamento e a reclusão, voluntários ou impostos, porém não diretamente associados a sofrimento". Na sua vida o que está mais presente a solidão ou a solitude?

"Tudo é paradoxal no homem, já o sabemos. Asseguramos o pão a um homem para que ele possa criar alguma coisa - e ele se põe a dormir. O conquistador vitorioso amolece. E se enriquecemos o generoso ele se torna avarento. Que nos importam as doutrinas políticas que pretendem elevar o homem se, para começar, não sabemos que tipo de homem elevarão na terra? Quem vai nascer? Não somos um rebanho na engorda. E a aparição de um Pascal pesa mais que o nascimento de alguns anônimos prósperos.

Não sabemos prever o essencial. cada um de nós conheceu as alegrias mais ardentes onde nada as prometia: elas deixaram em nós uma tal nostalgia, que temos saudades até de nossas misérias, se foram nossas misérias que as permitiam. Nós todos, ao encontrar depois de algum tempo os companheiros, sentimos o encanto de relembrar as horas amargas."


Comentário: Nesse trecho ele coloca em evidência a inegável tendência de que tudo tende a se acomodar e exprime o valor das experiências, inerentes da própria condição existencial, que geralmente, passa por momentos de altas e baixas. Resumindo: é preciso saber viver.

"Sem dúvida as vocações têm um papel. Uns se encerram em suas lojas. Outros abrem seu caminho imperiosamente, em uma direção necessária: nós acharemos em germe, em sua infância, os impulsos que explicarão seu destino. Mas a História, depois escrita, engana. Aqueles impulsos nós os encontraríamos em quase todos os homens. Todos conhecemos lojistas que, durante uma noite de naufrágio ou de incêndio, se revelaram maiores que eles próprios. E eles não desprezam essa plenitude que experimentaram: aquele incêndio ficará sendo a noite por excelência de suas vidas. Mas por falta de novas oportunidades, por falta de terreno favorável, de religião exigente, voltarão a dormir sem ter acreditado na própria grandeza. Certamente as vocações ajudam o homem a se libertar: mas é igualmente necessário libertar as vocações." 

Comentário: Quão grande realmente somos em nossa limitada visão de nós mesmos? Certamente gigantes, mas do tamanho de um grão de areia.

Leu?! Muito bem!

Então agora

1. Vamos ao debate! Registre suas considerações sobre o texto no campo dos comentários. 
2. Inscreva-se no Canal do Sou Poupador no Youtube
4. Nos acompanhe também no Instagram do Sou Poupador.
5. Registre sua reação sobre o texto logo abaixo nos emoticons 🙌!
6. Tem Twitter? O Sou Poupador também!
7. Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, informe nos comentários.
8. Aqui vai uma música para ouvir enquanto escreve os seus comentários:


Obrigado por sua visita!

Comentários

Postagens mais visitadas

Marcadores

Mostrar mais

BlogRoll (Contate para parcerias)