26. Visita ao Museu de Valores do Banco Central do Brasil em Brasília

Poupadores! Voltamos! Hoje vamos contar um pouco sobre a nossa visita ao Museu de Valores do Banco Central do Brasil que fica em Brasília no Distrito Federal. O lugar ensina bastante sobre a história das moedas que têm ou já tiveram circulação no Brasil. Nele é possível acompanhar a evolução do dinheiro no país, desde o início da colonização até os dias atuais. Veja um pouco de como foi a experiência:

Chegada ao Museu da Moeda

A entrada deve ser realizada na parte de trás do prédio do Banco Central. Para ter acesso ao local é necessário portar um documento com foto para registro no sistema de acesso do Banco Central do Brasil - BCB. Após a identificação é entregue um crachá de identificação que deve ser devolvido na saída e é necessário passar por um detector de metais. A equipe da portaria e vigilância do local é extremamente solícita para indicar o caminho até o Museu de Valores.

Na entrada é notória a placa de inauguração do local. Como podemos perceber, nela consta a data de início de funcionamento, qual seja, 8 de setembro de 1981, ou seja, o museu funciona nesse lugar há uns 38 anos, mas já tem quase cinquenta anos de funcionamento. Ele fora criado no Rio de Janeiro no ano de 1972, mas em 1981, o Museu de Valores foi transferido para o Edifício - Sede do Banco Central, em Brasília. Essa é a placa de que estamos falando:
Placa de inauguração do Museu da Moeda do Banco Central do Brasil

Como bons visitantes fomos buscar as orientações com a equipe do balcão de recepção do Museu. A primeira coisa que fomos orientados a fazer foi registrar nossos dados no livro de presenças do Museu. O que fizemos de bom grado. Após fazer isso, recebemos  uma recordação do lugar, que é bem legal: é uma moeda. Talvez uma coisa que futuramente possa ser implementada no local é o registro de presença automático, com o próprio cartão de acesso, uma espécie de book eletrônico de visitas. 

Horário de funcionamento do Museu de Valores

A entrada é permitida até 30 minutos antes do fechamento do Museu. Então, não adianta chegar lá em cima do horário de encerramento das atividades, até porquê para ver com atenção e detalhes, tudo que o lugar oferece é necessário um bom tempo. Na segunda-feira e nos domingos ele não abre. Por falar nisso, nos sábados ele geralmente fica fechado, todavia excepcionalmente ele abre no primeiro sábado de cada mês.  Essa é a vista da entrada do Museu, inserimos algumas informações sobre o funcionamento:

26. Visita ao Museu de Valores do Banco Central do Brasil em Brasília: vista da entrada e horários de funcionamento


Dito isso, seguimos com a nossa visita. Perguntamos para a equipe da recepção e ela foi unânime em que deveríamos começar pelo lado esquerdo de quem está entrando, pois ali começa a ser contada a história das moedas desde o início da invasão colonização do continente pelos europeus, na denominada Sala Brasil. Veja a lista dos espaços existentes:


  • Sala Brasil
  • Acervo da Sala Brasil  
  • Acervo do Brasil Colônia
  • Acervo do Brasil Reino Unido
  • Acervo do Brasil Império
  • Acervo do Brasil República
  • Sala Emissões do Banco Central
  • Sala Curiosidades monetárias
  • Sala Mundo
  • Exposição Você já parou para pensar?
  • Máquina de cunhar moedas
  • Sala Ouro
  • Lojinha
  • Associação Amigos do Museu de Valores
  • Galeria de Arte
Vamos mostrar algumas fotos, pra revelar um pouquinho do que existe lá no acervo, para, se você gostar, ir lá pessoalmente conferir.

Sala Brasil: As primeiras moedas cunhadas no Brasil

"No período da ocupação holandesa no Nordeste brasileiro, entre 1630 e 1654, foram cunhadas as primeiras moedas no Brasil", o Florim, de ouro foi a primeira moeda cunhada com o nome do Brasil. Veja o informativo em exposição na sala:
Museu de Valores do Banco Central do Brasil: No período da ocupação holandesa no Nordeste brasileiro, entre 1630 e 1654, foram cunhadas as primeiras moedas no Brasil
Nos chamou bastante atenção o formato das moedas. Nos expositores podem ser conferidas moedas originais da época, exatamente nos mesmos formatos.

Início da fabricação de dinheiro no Brasil

Quando começou a ser fabricado o dinheiro no Brasil? Em 1694 foi fundada a primeira Casa da Moeda do Brasil, no estado da Bahia. Antes, eram utilizadas moedas-mercadoria, representadas por fumo, tecido e moedas hispano-americanas. Confira mais informações na imagem:
26. Visita ao Museu de Valores do Banco Central do Brasil em Brasília: início da fabricação de dinheiro no Brasil

Dom Pedro II, Rei de Portugal fundou no Brasil a primeira Casa da Moeda, localizada inicialmente na Bahia.

Patacas

As patacas brasileiras circularam no Brasil por 139 anos. A origem do nome é espanhola e refere-se a moeda da Espanha que à época circulou no Brasil, denominada Patagon.

26. Visita ao Museu de Valores do Banco Central do Brasil em Brasília: Patacas, moedas que circularam por 139 anos


Uma das maiores moedas de ouro do mundo

O auge do ouro no Brasil teve uma significativa influência na cunhagem de moedas. Você já pensou em uma moeda com 53,78 gramas de ouro?
26. Visita ao Museu de Valores do Banco Central do Brasil em Brasília: Moeda de ouro que pesava 53,78g

Percebe-se na moeda algumas inscrições, como a Cruz da Ordem de Cristo ao centro e a inscrição "In Hoc Signo Vinces" que significa "sob este signo vencerás."

Sala Mundo: exemplares de cédulas de dinheiro do mundo inteiro


26. Visita ao Museu de Valores do Banco Central do Brasil em Brasília: Sala Mundo, exposição de cédulas de euros

No local também existem exemplares de cédulas de outros países. Várias delas chamam muito a atenção. As que mais se destacaram foram as cédulas de 500 euros e 500 dólares. A de 500 dólares é bastante rara, pois não é mais emitida e o tamanho da cédula de 500 euros surpreende, porquê é enorme.

Exposição: Você já parou para pensar? Exibe a mostra sobre Psicologia do Consumo

Em uma das salas do museu é possível prestigiar a mostra Psicologia do consumo. Ela é muito interessante e revela que os conteúdos aqui do Sou Poupador estão de acordo com o que faz bem para a sociedade como um todo. Assim esperamos!  
26. Visita ao Museu de Valores do Banco Central do Brasil em Brasília: Exposição: Você já parou para pensar? Exibe a mostra sobre Psicologia do Consumo


Nela são mostrados vários artifícios utilizados para que as pessoas consumam sempre mais e mais. Um dos pontos fortes são os exemplos simples e práticos para que os consumidores aprendam a utilizar melhor o dinheiro nas compras cotidianas.

26. Visita ao Museu de Valores do Banco Central do Brasil em Brasília: Exposição: Você já parou para pensar? Exibe a mostra sobre Psicologia do Consumo, formas de fazer compras que custam mesnos à vista ou parcelado?

No infográfico da mostra, fica bem clara a ideia de que juntar o dinheiro para comprar à vista, pode ser muito melhor do que parcelar.

Máquina de cunhar moedas


A máquina ainda funciona. Atualmente ela é utilizada para cunhar as moedas de recordação oferecidas aos visitantes do Museu.
26. Visita ao Museu de Valores do Banco Central do Brasil em Brasília: Máquina de cunhar moedas do Museu da Moeda da marca Schuler

Sala do Ouro do Museu da Moeda no Banco Central do Brasil - BCB

Um dos espaços mais intrigantes do Museu é a Sala Ouro, nela é possível conhecer a história desse metal precioso e sua impressionante ligação com o Brasil. No local, inclusive, existem barras de ouro, pepitas e materiais utilizados para a extração dele da natureza e imagens dos garimpos.

Sala do Ouro do Museu da Moeda no Banco Central do Brasil - BCB



Sala do Ouro do Museu da Moeda no Banco Central do Brasil - BCB. Materiais utilizados refinar o ouro

Ouro de tolo

"Nem tudo que reluz é ouro". Assim está escrito na descrição do metal denominado ouro de tolo em exposição na sala do ouro.
Ouro de tolo. "Nem tudo que reluz é ouro". Sala do Ouro do Museu da Moeda no Banco Central do Brasil - BCB.


Ouro de diversos países. Sala do Ouro do Museu da Moeda no Banco Central do Brasil - BCB.

Outra coisa legal é a lojinha de souveniers que oferece várias coisas legais, desde livros até cédulas e moedas antigas (o preço é meio salgadinho). Existe a possibilidade de ir até o oitavo andar para ver a Galeria de arte. Mas dessa vez preferimos ficar só com o museu, pois acreditem, é muita informação mesmo.

Na recepção do Museu eles também disponibilizam gratuitamente um marcador de texto junto a um caderno educativo, parte da chamada Série Educativa, destinada para crianças. Em nosso caso estava disponível o caderno que leva o título "O fantasma da inflação". Por falar nisso, os cadernos estão disponíveis támbem na versão online.
Aqui vão os links caso seja do seu interesse conhecer a coleção: Cadernos Banco Central - Série Educativa para crianças.

No marcador diz assim: "O Museu de Valores do Banco Central do Brasil exibe uma seleção de peças do seu acervo de importante valor numismático e artístico. São três mil anos de história em moedas, cédulas documentos de valor, títulos financeiros, barras e pepitas de ouro". É verdade, vimos com nossos próprios olhos! Por falar nisso, parabéns para toda equipe encarregada pelo atendimento, organização e orientação do BCB.

Agora é a sua vez de ir ver pessoalmente esse Museu enriquecedor! 


Para facilitar a organização da sua ida ao Museu da Moeda, montamos uma imagem e uma grade com os horários:


Horários de atendimento do Museu da Moeda no BCB

Segunda-feira até sexta-feira:
10 horas da manhã até às 18 horas da tarde.

Primeiro sábado de cada mês:
14 horas até às 18 horas da tarde.

Atenção:
em ambos os casos o ingresso só é permitido até às 17:30.
A entrada é franca, gratuita, grátis.
Endereço: SBS - Quadra 3 - Bloco B, Edifício-Sede.
1° subsolo.
CEP 70074-900 
Brasília - DF
Informações:
(61) 3414-2093 e 3414-2099
museudevalores@bcb.gov.br

Gostou do conteúdo? Então aqui vai um convite para você: Inscreva-se para receber novidades por correio eletrônico. Nos acompanhe também no Instagram:  

Comentários

Postagens mais visitadas

Marcadores

Mostrar mais

BlogRoll (Contate para parcerias)